sexta-feira, 26 de março de 2010

Os benefícios da soja na alimentação



Aline Denise Maia, Nutricionista

A soja, também chamada de super-leguminosa, é a leguminosa mais cultivada em todo o mundo! Apenas uma pequena parte da produção mundial de soja é dedicada à alimentação humana.

A maior parte é utilizada como alimento para o gado e como matéria-prima para a indústria. Hoje em dia, o seu consumo aumentou significativamente, principalmente pelo que se sabe acerca da sua composição. Trata-se de um alimento rico em proteínas (de origem vegetal), vitaminas e em sais minerais de fácil digestão e muito rica em elementos fitoquímicos.

Ao contrário de outras leguminosas, a soja é constituída fundamentalmente por ácidos gordos insaturados uma pequena porção de ácidos gordos saturados e por outros ácidos gordos da família dos ómega-3. Sendo rica em ácidos gordos polinsaturados, a gordura da soja contribui para a redução do nível de colesterol sanguíneo.

Do seu peso, 20,9% são oligossacarídeos, sacarose e uma pequena parte amido. Contém uma elevada concentração de minerais, sendo muito rica em cobre, fósforo, zinco, manganésio, magnésio e potássio, contendo também uma quantidade significativa de cálcio.

É contudo, pobre em vitamina A e C e em sódio pelo que evita a retenção de água nos tecidos e é aconselhada nas patologias associadas ao sistema circulatório. Contém 9,3% de fibra, na sua maior parte, fibra solúvel o que contribui para a regularização do trânsito intestinal e para a redução dos níveis séricos de colesterol.

A semente de soja contém abundantes substâncias químicas que não são verdadeiros nutrientes mas que exercem acções importantes no organismo: as Isoflavonas (exercem uma acção semelhante à dos estrogénios mas sem efeitos indesejáveis, aumentando a mineralização óssea e protegendo contra a arteriosclerose) e os Fitoesteróis (semelhantes ao colesterol mas de origem vegetal.

Impedem a absorção de colesterol alimentar, reduzindo o seu nível sanguíneo. Como antioxidantes que são, impedem o desenvolvimento de células cancerosas).

Devido à sua composição, a soja tem efeitos terapêuticos como: regularização do ciclo menstrual, alívio dos sintomas menopáusicos, diminuição do risco de cancro da mama e da próstata, do risco de enfarte do miocárdio, dos níveis de colesterol sérico e da excreção urinária de cálcio.

Além de superleguminosa, dá também origem a inúmeros produtos alimentares. Pode ser consumida na forma de grão, texturizada ou transformada em: bebida de soja, tofu, tempeh, miso, tamari, óleo de soja, molho de soja, shoyu, farinha e rebentos de soja. Apresenta alguns aspectos negativos. Sendo rica em substâncias tóxicas nunca deve ser consumida crua. Devido à sua riqueza em purinas não deve ser consumida em caso de gota e de litíase renal de tipo úrico e provoca alguma flatulência!




Fonte: Jornal do Centro de Saúde

1 comentário:

Multiolhares disse...

utiliza varias vezes em vez de ervilhas tem um sabor muito bom
beijinhos